1984 de George Orwell (Resumo e Comentário da Obra)

A obra “1984” é um romance filosófico e distópico publicado em 1949, no qual Orwell desenha um mundo totalitário onde as ideologias triunfaram sobre o indivíduo.

 

Índice

1 Resumo de 1984 de George Orwell

2 Análise de 1984 de George Orwell

3 Conclusão sobre 1984: o totalitarismo rastejante de nossas sociedades

 

1 Resumo de 1984 de George Orwell

A história se passa em Londres em 1984. O mundo está dividido em três grandes eras geopolíticas em guerra: Eurásia, Estasia e Oceania, todas totalitárias, lideradas por partidos comunistas que inicialmente sonhavam em ser agentes de libertação do proletariado. O personagem principal, Winston Smith, trabalha no Ministério da Verdade, onde revisa a história para adequá-la à versão do Partido. Smith é, portanto, um personagem que está lúcido sobre as manipulações realizadas pelo Partido, mas, esconde suas opiniões.

Smith descreve a sociedade que o rodeia: a denúncia generalizada, a negação do sexo e de toda a sensualidade, a polícia do pensamento e da linguagem e, sobretudo, a vigilância do Big Brother, um sistema de câmeras que reduzem o indivíduo ao nada e isolam-no. Mas o encontro com uma jovem, Julia, o leva a transgredir as regras da festa: eles fazem amor e sonham com uma revolta da população. Traídos por um de seus “amigos” (O’ Brien), são presos, torturados e reeducados. A vitória do Partido sobre Smith é total, pois ele repudiará Julia.

2 Análise de 1984 de George Orwell

1984 é um romance político dirigido contra os regimes comunistas emergentes do início dos anos 1950 e destinado aos leitores no Ocidente.

Em 1984, Orwell retrata uma sociedade totalitária absoluta, a realização mais extrema imaginável de um governo moderno. O título do romance indica que Orwell vê uma possibilidade histórica no advento de tal mundo.

A técnica é vista como um símbolo de dominação política, particularmente a serviço da manipulação psicológica. O Big Brother é introduzido em todas as casas e apartamentos: as esferas pública e privada são assim fundidas. As crianças são criadas para espionar e denunciar seus pais e a sexualidade é suprimida, pois o desejo é visto como uma prova de individualidade. Além da manipulação mental, o Partido exerce controle físico sobre a população: até mesmo uma contração facial pode provocar uma prisão. Todos os indivíduos realizam um trabalho árduo para manter a população em estado de extrema fadiga, o que aumenta seu nível de obediência. A tortura também é prática difundida, sinal de que o corpo pertence ao Estado. A história também é controlada enquanto o Partido reescreve os arquivos.

3 Conclusão sobre 1984: o totalitarismo rastejante de nossas sociedades

1984 é, portanto, um romance cujo conteúdo filosófico é óbvio: seus temas (subjetividade, Estado, relação entre o âmbito público/privado, desejo, mídia, etc.), são analisados sob os excessos dos regimes totalitários.

Written By
More from Ana Catarina
Entre Quatro Paredes (Sartre): Análise e Resumo
Todos esses olhares que me comem! […] Não precisa de...
Read More
Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *